19 de ago de 2016

crescer

é inevitável que um dia eu iria crescer. bate todo aquele medo que via nos filmes de adolescente. as frustrações e angustia ao abrir os olhos de manhã. e se não der certo? e se eu morrer? quem vai cuidar disso? quem vai cuidar dela? e daqui a dez anos? a noite a sensação de incompletude me consome. me deito e entoo minha mais nova cantiga de ninar: qual o sentido da minha vida? qual o sentido da minha vida? qual o sentido da minha vida? qual o sentido da minha vida? qual o sentido da minha vida? qual o sentido da minha vida? até adormecer, até o dia acabar e me encostar no seu corpo quente e voltar.